+55 (67) 3546.2571
sábado, 17 de abril de 2021
terça, 6 de novembro de 2012 - 10:47

Grupo alimentação é o vilão do Índice de Preços ao Consumidor

O Nepes Anhanguera-Uniderp divulgou hoje, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC/CG) de Campo Grande. No mês de outubro, o IPC/CG apresentou forte inflação, da ordem de 0,85%, bem acima da inflação do mês de setembro, que foi de 0,64%, já considerada bastante alta.

“O forte aumento é reflexo dos altos preços em alguns dos produtos do grupo Alimentação, com destaque para carne bovina, carne de frango congelado, arroz e batata. Esse grupo apresentou inflação de 3,27%”, comenta o coordenador do Nepes Anhanguera-Uniderp, Celso Correia. Ele também ressalta que “como acontece todos os anos, a inflação da cidade sempre se eleva com a chegada do final do ano, devido ao aumento do consumo de um modo geral, o que afeta quase todos os grupos que compõem o índice.

“Por outro lado, o grupo Alimentação também sofre muita influência de fatores climáticos e da sazonalidade de alguns de seus produtos, principalmente, verduras, frutas e legumes”, observa o pesquisador José Francisco Reis Neto.

Alguns produtos aumentam de preços aos términos das suas safras, outros diminuem de preços quando entram na safra. Quando o clima é desfavorável há aumentos de preços, ocorrendo quedas quando o clima se torna favorável. Assim, os produtos que mais aumentaram de preços foram: chuchu 78,21%, limão 34,75%, batata 24,75% e arroz 23,27%. Outros tiveram reduções de valores significativos: tomate (-22,91%), cenoura (-21,75%), pepino (-20,05%) e beterraba (-15,28%).

No item carnes, do grupo Alimentação, alguns cortes de carne bovina tiveram altas: alcatra 7,77%, cupim 5,52%, costela 3,58%, filé mignon 3,46% e contra filé 3,45. Cortes que apresentaram quedas de preços: lagarto (-3,84%), coxão mole (-3,69%), fígado (-3,63%) e ponta de peito (-2,63%). Em relação à carne suína, houve redução em todos os cortes: costeleta (-4,50%), bisteca (-3,09%) e pernil (-1,43%). Quanto à carne de aves, miúdos teve queda de preço de (-0,93%) e frango congelado teve um forte aumento, de 6,60%.

O grupo Habitação registrou pequena deflação em seu índice (-0,05%), em relação ao mês anterior. Alguns produtos que sofreram alterações de preços foram: pilha 7,69%, saponáceo 6,03%, sabão em barra 4,18% e ventilador 3,63%. Quedas de preços neste grupo ocorreram com: computador (-4,66%), álcool para limpeza (-3,41%) e aparelho de som (-2,80%).

Observou-se no grupo Transportes pequena alta em seu índice, de 0,22%. Tiveram aumentos de preços: automóvel novo 1,72% e etanol 0,13%. Ocorreu queda de preço da gasolina (-0,09%). Já o grupo Educação apresentou estabilidade nos valores dos seus produtos, com pequena alta de 0,05% devido a aumentos nos preços de artigos de papelaria, de 0,50%.

Outro grupo que registrou estabilidade em seu índice foi o de Saúde, com pequena alta da ordem de 0,02%. Destacaram-se com aumentos: material para curativo 0,93%, antiinfeccioso e ambitiótico 0,15% e psicotrópico e anorexígeno 0,12%. Quedas de preços ocorreram com: antialérgico e broncodilatador (-0,18%), antimicótico e parasiticida (-0,08%), analgésico e antitérmico (-0,02%), entre outros.

O grupo Despesas Pessoais apresentou uma moderada inflação de 0,39%. Os principais aumentos registrados foram: protetor solar 13,44%, fio dental 11,55% e papel higiênico 4,64%. Reduções ocorreram com: hidratante (-5,24%), absorvente higiênico (-0,76%) e xampu (-0,04%).

Ao contrário do que foi constatado em Despesas Pessoais, o grupo Vestuário, teve moderada deflação em seu índice (-0,38%), em relação ao mês de setembro. Subiram os valores do sapato feminino 5,83%, sandália / chinelo feminino 3,40% e lingerie 3,21%. Ocorreram quedas de preços nos produtos: blusa (-4,62%), tênis (-3,76%) e bermuda e short feminino (-3,72%).

Inflação acumulada
A inflação acumulada neste ano de 2012, na cidade de Campo Grande, está em 4,52% e, nos últimos 12 meses é de 5,51%, ultrapassando o centro da meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que para o ano de 2012 é de 4,5%. “Se não houver uma intervenção do Banco Central sobre a inflação, a tendência para este ano de 2012 é que a inflação acumulada na cidade de Campo Grande extrapole o topo da meta estabelecida pelo CMN, que é de 6,5%, haja vista, que ainda faltam dois meses para o término do ano (novembro e dezembro), e já estamos com uma inflação acumulada nos 10 primeiros meses de 4,52%”, alerta o coordenador do Nepes Anhanguera-Uniderp, Celso Correia.

No ano de 2012, o grupo Despesas Pessoais lidera a lista das inflações acumuladas, com 8,57%, seguido do grupo Alimentação com 6,83% e Educação 5,71%, inflações essas superiores a inflação acumulada deste ano de 2012, que está em 4,52%.

Já nos últimos doze meses, o grupo Alimentação, com a inflação desse mês de outubro, de 3,27%, está liderando em inflação acumulada, com índice de 9,27%. Em seguida vem os grupos de Despesas Pessoais com 9,17% e Educação com 6,24%. Esses três grupos estão com inflações acumuladas superiores à inflação acumulada neste nos últimos 12 meses, que foi de 5,51%.

Veja Também
Comentários
Imagem da semanaSinted pede aulas remotas e vacinação dos profissionais da educaçãoTodas as imagens
EnqueteQuem vai ser o Campeão da Copa do Brasil?
Resultados
42,86%
Santos
21,43%
Grêmio
21,43%
São Paulo
14,29%
Fluminense
21min33max
AnaurilândiaSol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.
20min31max
Campo GrandeSol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.
20min32max
DouradosSol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.
22min33max
Três LagoasSol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.