+55 (67) 3546.2571
quarta, 01 de dezembro de 2021
terça, 6 de novembro de 2012 - 10:47

Grupo alimentação é o vilão do Índice de Preços ao Consumidor

O Nepes Anhanguera-Uniderp divulgou hoje, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC/CG) de Campo Grande. No mês de outubro, o IPC/CG apresentou forte inflação, da ordem de 0,85%, bem acima da inflação do mês de setembro, que foi de 0,64%, já considerada bastante alta.

“O forte aumento é reflexo dos altos preços em alguns dos produtos do grupo Alimentação, com destaque para carne bovina, carne de frango congelado, arroz e batata. Esse grupo apresentou inflação de 3,27%”, comenta o coordenador do Nepes Anhanguera-Uniderp, Celso Correia. Ele também ressalta que “como acontece todos os anos, a inflação da cidade sempre se eleva com a chegada do final do ano, devido ao aumento do consumo de um modo geral, o que afeta quase todos os grupos que compõem o índice.

“Por outro lado, o grupo Alimentação também sofre muita influência de fatores climáticos e da sazonalidade de alguns de seus produtos, principalmente, verduras, frutas e legumes”, observa o pesquisador José Francisco Reis Neto.

Alguns produtos aumentam de preços aos términos das suas safras, outros diminuem de preços quando entram na safra. Quando o clima é desfavorável há aumentos de preços, ocorrendo quedas quando o clima se torna favorável. Assim, os produtos que mais aumentaram de preços foram: chuchu 78,21%, limão 34,75%, batata 24,75% e arroz 23,27%. Outros tiveram reduções de valores significativos: tomate (-22,91%), cenoura (-21,75%), pepino (-20,05%) e beterraba (-15,28%).

No item carnes, do grupo Alimentação, alguns cortes de carne bovina tiveram altas: alcatra 7,77%, cupim 5,52%, costela 3,58%, filé mignon 3,46% e contra filé 3,45. Cortes que apresentaram quedas de preços: lagarto (-3,84%), coxão mole (-3,69%), fígado (-3,63%) e ponta de peito (-2,63%). Em relação à carne suína, houve redução em todos os cortes: costeleta (-4,50%), bisteca (-3,09%) e pernil (-1,43%). Quanto à carne de aves, miúdos teve queda de preço de (-0,93%) e frango congelado teve um forte aumento, de 6,60%.

O grupo Habitação registrou pequena deflação em seu índice (-0,05%), em relação ao mês anterior. Alguns produtos que sofreram alterações de preços foram: pilha 7,69%, saponáceo 6,03%, sabão em barra 4,18% e ventilador 3,63%. Quedas de preços neste grupo ocorreram com: computador (-4,66%), álcool para limpeza (-3,41%) e aparelho de som (-2,80%).

Observou-se no grupo Transportes pequena alta em seu índice, de 0,22%. Tiveram aumentos de preços: automóvel novo 1,72% e etanol 0,13%. Ocorreu queda de preço da gasolina (-0,09%). Já o grupo Educação apresentou estabilidade nos valores dos seus produtos, com pequena alta de 0,05% devido a aumentos nos preços de artigos de papelaria, de 0,50%.

Outro grupo que registrou estabilidade em seu índice foi o de Saúde, com pequena alta da ordem de 0,02%. Destacaram-se com aumentos: material para curativo 0,93%, antiinfeccioso e ambitiótico 0,15% e psicotrópico e anorexígeno 0,12%. Quedas de preços ocorreram com: antialérgico e broncodilatador (-0,18%), antimicótico e parasiticida (-0,08%), analgésico e antitérmico (-0,02%), entre outros.

O grupo Despesas Pessoais apresentou uma moderada inflação de 0,39%. Os principais aumentos registrados foram: protetor solar 13,44%, fio dental 11,55% e papel higiênico 4,64%. Reduções ocorreram com: hidratante (-5,24%), absorvente higiênico (-0,76%) e xampu (-0,04%).

Ao contrário do que foi constatado em Despesas Pessoais, o grupo Vestuário, teve moderada deflação em seu índice (-0,38%), em relação ao mês de setembro. Subiram os valores do sapato feminino 5,83%, sandália / chinelo feminino 3,40% e lingerie 3,21%. Ocorreram quedas de preços nos produtos: blusa (-4,62%), tênis (-3,76%) e bermuda e short feminino (-3,72%).

Inflação acumulada
A inflação acumulada neste ano de 2012, na cidade de Campo Grande, está em 4,52% e, nos últimos 12 meses é de 5,51%, ultrapassando o centro da meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que para o ano de 2012 é de 4,5%. “Se não houver uma intervenção do Banco Central sobre a inflação, a tendência para este ano de 2012 é que a inflação acumulada na cidade de Campo Grande extrapole o topo da meta estabelecida pelo CMN, que é de 6,5%, haja vista, que ainda faltam dois meses para o término do ano (novembro e dezembro), e já estamos com uma inflação acumulada nos 10 primeiros meses de 4,52%”, alerta o coordenador do Nepes Anhanguera-Uniderp, Celso Correia.

No ano de 2012, o grupo Despesas Pessoais lidera a lista das inflações acumuladas, com 8,57%, seguido do grupo Alimentação com 6,83% e Educação 5,71%, inflações essas superiores a inflação acumulada deste ano de 2012, que está em 4,52%.

Já nos últimos doze meses, o grupo Alimentação, com a inflação desse mês de outubro, de 3,27%, está liderando em inflação acumulada, com índice de 9,27%. Em seguida vem os grupos de Despesas Pessoais com 9,17% e Educação com 6,24%. Esses três grupos estão com inflações acumuladas superiores à inflação acumulada neste nos últimos 12 meses, que foi de 5,51%.

Veja Também
Comentários
Imagem da semanaSinted pede aulas remotas e vacinação dos profissionais da educaçãoTodas as imagens
EnqueteQuem vai ser o Campeão da Copa do Brasil?
Resultados
42,86%
Santos
21,43%
Grêmio
21,43%
São Paulo
14,29%
Fluminense
20min35max
AnaurilândiaSol com algumas nuvens. Não chove.
19min32max
Campo GrandeSol com algumas nuvens. Não chove.
19min34max
DouradosDia de sol, com nevoeiro ao amanhecer. As nuvens aumentam no decorrer da tarde.
21min35max
Três LagoasSol com algumas nuvens. Não chove.