+55 (67) 3546.2571
sexta, 16 de abril de 2021
quinta, 1 de novembro de 2012 - 15:45

Brasil exporta 16 jogadores para seleções rivais no Mundial de futsal

O Brasil é a maior força do futsal no mundo. Com seis títulos mundiais, o país teve de aprender a lidar com os talentos que decidiram defender outros países. No Mundial da Tailândia, que começa nesta quinta-feira, 16 brasileiros vão defender cinco seleções diferente. No entanto, se os brasileiros são o grande "pé de obra" dessa Copa do Mundo, outro país está na frente no ranking de treinadores.

A Espanha, bicampeã mundial e dona de um campeonato nacional que rivaliza em força com a Liga Futsal, é o país mais lembrado pelas federações quando chega a hora de contratar um técnico. Na Tailândia, cinco dos 24 times participantes terão um espanhol no comando. Venancio Lopez é o técnico da Espanha, mas seus compatriotas darão instruções nas seleções de Líbia (Pablo Prieto), Kwait (Luis Fonseca), Japão (Miguel Rodrigo) e Argentina (Fernando Larranaga). Como comparação, só dois técnicos brasileiros estão no torneio: Fernando Ferretti comandará o Paraguai e Marcos Sorato, a seleção brasileira.

Apesar do sucesso no comando, dentro de quadra os espanhóis ainda apelam para a habilidade verde-amarela. O técnico Venancio Lopez vai contar com o pivô Fernandão e o ala Alemão em sua equipe na Copa do Mundo. A dupla, porém, é um contingente pequeno ao analisar a Itália. A Azzurra é a seleção com o maior número de brazucas no elenco, com sete atletas. Márcio Forte e Saad Assis são dois dos principais jogadores da equipe europeia, que também conta com Humberto Honório, Gabriel Lima, Alex Merlim, Alessandro Patias e Manoel Vampeta.

Outra grande força que briga por título e terá suas principais armas é a Rússia. Os destaques são o goleiro Gustavo, Sirilo e Pula, artilheiro da última edição da Copa do Mundo com 16 gols, na frente de Falcão. Robinho e Éder Lima completam a lista de brasileiros.

Seleções sem grande destaque no Mundial também contam com jogadores brasileiros no elenco. Na Austrália, Fernando de Moraes é o brazuca do elenco. O atleta está no país desde 2005 e no Brasil já defendeu o Corinthians. Já no Japão, Rafael Katsutosho Henmi é o brasileiro naturalizado da seleção.

“Fui para o Japão com 15 anos, quando meus pais se mudaram para o país para buscar novas oportunidades. Eu já jogava futsal no Brasil, cheguei até mesmo a fazer parte das categorias de base do Coritiba”, conta Henmi.

A naturalização veio por um detalhe do Campeonato Japonês: apenas quatro jogadores estrangeiros podem ser inscritos por cada clube. "Então, quando fui subir para o time principal, eu iria ocupar uma dessas vagas. Os japoneses fizeram a proposta de naturalização. Eu aceitei e pouco tempo depois fui convocado para a seleção”, lembra.



Veja Também
Comentários
Imagem da semanaSinted pede aulas remotas e vacinação dos profissionais da educaçãoTodas as imagens
EnqueteQuem vai ser o Campeão da Copa do Brasil?
Resultados
42,86%
Santos
21,43%
Grêmio
21,43%
São Paulo
14,29%
Fluminense
20min35max
AnaurilândiaSol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.
20min32max
Campo GrandeSol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.
21min34max
DouradosSol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.
21min35max
Três LagoasSol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.