+55 (67) 3546.2571
segunda, 17 de maio de 2021
segunda, 23 de julho de 2018 - 14:45

Alegando regra federal, prefeitura vai recorrer de decisão sobre aplicativos

Para a Justiça, município descumpre liminar que derrubou regras editadas em 2017

Depois de mais uma decisão que derrubou o novo decreto sobre aplicativos de transporte, como o Uber, a prefeitura de Campo Grande vai recorrer. O entendimento do município é que as regras atendem aos motoristas e também a necessidade de cumprir legislação federal.

A decisão, emitida no sábado (dia 21), do juiz David de Oliveira Gomes Filho, da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, estendeu os efeitos de uma liminar de 2017 ao decreto municipal 13.562/2018, publicado semana passada.

 

"Nós reeditamos um decreto, com base na legislação federal e modificamos muitas coisas do primeiro. Agora vamos recorrer", disse o prefeito Marquinhos Trad (PSD). No entendimento do município, não houve desobediência à decisão anterior, porque "foram modificadas muitas coisas" em relação ao primeiro decreto.

Ação - O MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), que entrou com nova ação pedindo a derrubada do decreto de agora, apontou que o novo documento repete exigências do anterior e acrescenta outras semelhantes.

Além de dizer que as regras são diferentes, o prefeito afirma que regulamentar o serviço não é "opção" mais, mas obrigação, em virtude da necessida de cumprir normas federais.

Contudo, na decisão, o juiz lembrou que a lei federal 13.157, que entrou em vigor neste ano, reconheceu a atividade como “transporte remunerado privado de passageiros”, facultando - não obrigando- aos municípios regulamentarem a atividade nos parâmetros previstos na legislação.

Decreto - O documento foi divulgado em edição extra do Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) de terça-feira (dia 17). Segundo o decreto, os condutores terão de fazer curso de formação, os veículos terão de ser da Capital e não há limite de licenças para o serviço. 

Ainda de acordo com o prefeito, também não será exigida placa vermelha, para diferenciar os veículos, que poderão ser alugados ou próprios. Neste sentido, a única exigência será que os carros sejam de Campo Grande.

Também há a exigência de repasse de informação em tempo real por parte da OTTs (Operadoras de Tecnologia de Transporte) à administração municipal.

O compartilhamento dos dados prevê informações sobre origem e destino da viagem, tempode duração até o destino, mapa do trajeto, identificação do condutor, itens do preço pago, identificação do veículo, quilometragem dos veículos, entre outros.



Fonte: campo grande news
Veja Também
Comentários
Imagem da semanaSinted pede aulas remotas e vacinação dos profissionais da educaçãoTodas as imagens
EnqueteQuem vai ser o Campeão da Copa do Brasil?
Resultados
42,86%
Santos
21,43%
Grêmio
21,43%
São Paulo
14,29%
Fluminense
16min32max
AnaurilândiaSol com algumas nuvens. Não chove.
19min29max
Campo GrandeSol com algumas nuvens. Não chove.
17min28max
DouradosSol com algumas nuvens. Não chove.
17min32max
Três LagoasSol com algumas nuvens. Não chove.