+55 (67) 3546.2571
segunda, 17 de maio de 2021
sexta, 29 de junho de 2018 - 08:45

Condenado por gastar dinheiro público ilegalmente, ex-prefeito fica inelegível

Sidney Foroni foi condenado pela justiça a oito anos sem poder se candidatar como político, além de pagar multa de R$ 53 mil.

Acusado de gasto excessivo de dinheiro público em campanhas de publicidade, durante o seu mandato, o ex-prefeito de Rio Brilhante – município a 163 quilômetros de Campo Grande -, Sidney Foroni foi condenado pela justiça a oito anos de inelegibilidade na política.

O ex político e seu vice da época, Wanderlei da Silva Barbosa também terão de pagar multa no valor de R$ 53.205,00. Consta na denúncia do Ministério Público Eleitoral que só no primeiro semestre do ano de eleições (2016), a despesa com publicidade para a sua candidatura a reeleição foi superior à média dos gastos no primeiro semestre dos três últimos anos anteriores ao pleito. Sidney ocupava o cargo desde o ano de 2012. 

 
PUBLICIDADE
 
 

Segundo o MPE os gastos no período atingiram R$ 417.566,70, superior à média do primeiro semestre dos anos anteriores, havendo diferença média no valor de R$ 126.757,71. “Valor este que não pode ser considerado ínfimo”, diz a sentença. As campanhas estavam relacionadas a divulgação de obras e até mensagens de final de ano ou anúncios e entrevistas em rádio, dentre outros campanhas de publicidade da gestão.

“No que se refere ao abuso do poder político, econômico e uso indevido dos meios de comunicação, pela análise das mídias acostadas aos autos é nítida a conduta vedada pela legislação, com promoção e enaltecimento dos atos do candidato, pois, utilizando-se da máquina pública, realizaram publicidade em seu benefício”, completa a decisão do juiz Jorge Tadashi Kuramoto.

Durante a sua gestão o Ministério Público Estadual também abriu inquérito para apurar eventual improbidade administrativa de Sidney por ele fazer compras, com recursos públicos e sem licitação, da empresa que pertence a seu irmão, Edneu Davi Foroni.

Na época ele justificou que teriam sido “compras de produtos em pequena quantidade, diretas e sem continuidade, o que justifica a dispensa de licitação”. Ele revelou que entre os produtos comprados na empresa de seu irmão estavam luvas e outros equipamentos e que a decisão de fazer a compra na Foroni & Coelho foi porque a loja tinha os menores preços.



Fonte: Campo Grande News
Veja Também
Comentários
Imagem da semanaSinted pede aulas remotas e vacinação dos profissionais da educaçãoTodas as imagens
EnqueteQuem vai ser o Campeão da Copa do Brasil?
Resultados
42,86%
Santos
21,43%
Grêmio
21,43%
São Paulo
14,29%
Fluminense
16min32max
AnaurilândiaSol com algumas nuvens. Não chove.
19min29max
Campo GrandeSol com algumas nuvens. Não chove.
17min28max
DouradosSol com algumas nuvens. Não chove.
17min32max
Três LagoasSol com algumas nuvens. Não chove.