+55 (67) 3546.2571
quarta, 22 de setembro de 2021
terça, 17 de setembro de 2013 - 15:00

Correios esperam chegar a acordo com empregados e encerrar greve

A diretoria dos Correios espera chegar a um acordo na tarde de hoje (17) com os sindicatos que não aceitaram a proposta da empresa e continuam em greve desde o dia 12. Em uma audiência de conciliação na Justiça do Trabalho, em Brasília, a empresa vai manter a proposta – já aceita pelos sindicatos do Rio de Janeiro, São Paulo, Bauru (SP) e Rondônia – de reajuste de 8% nos salários, que representa reposição da inflação do período (6,27%), mais ganho real de 1,7%, além de 6,27% a mais nos benefícios.

O presidente da empresa, Wagner Pinheiro de Oliveira, disse, em entrevista coletiva, que esse é o limite a que a empresa pode chegar, nas circunstâncias atuais. “É uma ótima proposta, em respeito aos trabalhadores e à população, que não pode ser prejudicada pela paralisação dos serviços.”

De acordo com a direção dos Correios, 98,73% dos empregados (122.889) compareceram normalmente ao trabalho nesta terça-feira, “apesar da paralisação mantida por seis sindicatos [Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Tocantins, São José dos Campos e Vale do Paraíba]”. Segundo os Correios, as paralisações provocaram um acúmulo de 3,4 milhões de objetos (correspondência e encomendas). O Plano de Continuidade de Negócios, que prevê o cumprimento de horas extras, mutirões para entrega nos fins de semana e deslocamento de empregados entre as unidades, deverá regularizar a situação até amanhã (18), informam os Correios.

Os Correios oferecem na proposta de acordo o pagamento de um vale extra no valor de R$ 650 em dezembro, e vale-cultura dentro das regras do programa do governo federal.

Os sindicatos serão representados pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect). Que representa mais de 30 entidades de empregados dos Correios. A entidade reivindica 7,13% de reajuste mais 15% de aumento real e R$ 200 de aumento linear para todos os 123 mil servidores. Além disso, pede 20% de aumento pelas perdas salariais ocorridas desde o Plano Real.

Segundo o órgão, atender às demandas da categoria causaria impacto de R$ 31,4 bilhões sobre a folha de pagamento, o equivalente a “quase o dobro da previsão de receita” para este ano, “ou o equivalente a 50 folhas mensais de pagamento da ECT” como um todo.

Além das reivindicações salariais, o diretor da Fentect, James Magalhães, afirma que outro ponto que preocupa os trabalhadores é a situação do Correios Saúde, plano que atualmente é administrado pelo setor de recursos humanos da empresa. “Desde 2009, eles vêm sucateando o plano. Fecharam vários ambulatórios dentro dos Correios. Agora querem repassá-lo à iniciativa privada, sob o nome de Postal Saúde, prejudicando também esse direito dos trabalhadores.”
Veja Também
Comentários
Imagem da semanaSinted pede aulas remotas e vacinação dos profissionais da educaçãoTodas as imagens
EnqueteQuem vai ser o Campeão da Copa do Brasil?
Resultados
42,86%
Santos
21,43%
Grêmio
21,43%
São Paulo
14,29%
Fluminense
20min35max
AnaurilândiaSol com algumas nuvens. Não chove.
23min35max
Campo GrandeSol com algumas nuvens. Não chove.
18min35max
DouradosSol com algumas nuvens. Não chove.
21min35max
Três LagoasSol com algumas nuvens. Não chove.