+55 (67) 3546.2571
sábado, 24 de julho de 2021
terça, 16 de junho de 2015 - 17:15

Em audiência na CAE, ministro prevê superávit comercial e anuncia plano de exportações

Apesar de ter começado o ano com dificuldades, a balança comercial brasileira deve fechar 2015 em déficit. A previsão é do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, que participou nesta terça-feira, 16, de audiência conjunta das Comissões de Assuntos Econômicos (CAE) e de Ciência e Tecnologia (CCT) do Senado. De acordo com o ministro, a desvalorização do real frente ao dólar produziu um "surto de substituição das importações" e o déficit comercial de US$ 6 bilhões registrado nos três primeiros meses do ano já foi quase zerado. Armando Monteiro saiu em defesa do incremento da atividade comercial brasileira com outros países e anunciou um plano nacional de exportação a ser lançado ainda este mês, que tem como bases o aperfeiçoamento do regime tributário de exportação, a desburocratização e a simplificação de procedimentos para os exportadores. — Hoje no Brasil são necessários 13 dias para se processar uma exportação, período muito longe da média dos demais países, que varia de 6 a 7 dias. A esperança de Armando Monteiro é que o plano de exportações mobilize o setor privado. Na opinião dele, o comércio exterior não pode ser apenas “uma válvula conjuntural”, mas uma canal permanente da economia, sem variar conforme a conjuntura. — Nossa corrente de comércio externo representa 20% do PIB, quando a média dos países desenvolvidos é quase o dobro. O canal do comercio internacional é obvio neste momento em que o mercado doméstico está retraído. É imperioso que o Brasil se volte ao comércio exterior — defendeu o ministro, que se licenciou do Senado para assumir o posto no Executivo. Desafio - O presidente da CAE e líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral(PT/MS) destacou a importância do debate. "Essa audiência com o ministro Armando Monteiro foi muito importante porque ela abordou temas fundamentais para o país: a política de exportação, a competitividade - não só analisando a eficiência dos nossos empresários e da nossa produção, mas também com a carga tributária - e o impacto do câmbio nos preços internacionais dos produtos fabricados no Brasil .Esse é o grande desafio. Os países desenvolvidos investiram muito em tecnologia e no Brasil não é diferente. Se o pais não entender o momento que estamos vivendo ficará para trás porque hoje tecnologia é tudo. Só avança quem tem tecnologia”, avaliou o senador. Os membros da CAE avaliaram com Armando Monteiro as políticas desenvolvidas pelo Ministério e colheram informações sobre o projeto a ser apresentado pela presidente Dilma Roussefpara impulsionar o comércio exterior . “O governo pretende ampliar as parceiras com os Estados Unidos, a Europa e os países do Mercosul”, revelou o senador . “Isso é fundamental, assim como é muito importante também esclarecer pontos que algumas pessoas estão desvirtuando, como a questão de bancar projetos no exterior , esquecendo-se que esses projetos viabilizam empregos aqui no Brasil. Eles são desenvolvidos por empresas de engenharia brasileiras e, portanto, geram reflexos bastante positivos na economia do nosso país”, argumentou Delcídio.
Veja Também
Comentários
Imagem da semanaSinted pede aulas remotas e vacinação dos profissionais da educaçãoTodas as imagens
EnqueteQuem vai ser o Campeão da Copa do Brasil?
Resultados
42,86%
Santos
21,43%
Grêmio
21,43%
São Paulo
14,29%
Fluminense
15min31max
AnaurilândiaSol o dia todo sem nuvens no céu. Noite de tempo aberto ainda sem nuvens.
16min32max
Campo GrandeSol o dia todo sem nuvens no céu. Noite de tempo aberto ainda sem nuvens.
15min32max
DouradosSol com algumas nuvens. Não chove.
16min31max
Três LagoasSol o dia todo sem nuvens no céu. Noite de tempo aberto ainda sem nuvens.