+55 (67) 3546.2571
segunda, 17 de maio de 2021
sexta, 8 de junho de 2018 - 09:40

Marquinhos não quer ouvir "gritaria" sobre tarifa

Sem berros – O prefeito Marquinhos Trad (PSD) diz que só vai aceitar diálogo na questão envolvendo a tarifa de ônibus em Campo Grande. “Gritaria, batida de panela e discursos inflamados não ganham mais nada. Tem que ter argumentação técnica”, declarou.

 

 

Catraca – Em tempo: em meio a cobranças pela redução da tarifa em Campo Grande, a Câmara Municipal marcou para terça-feira (12) audiência pública para discutir o serviço na cidade. O debate deve abarcar a composição de preços e, consequentemente, a desoneração sobre o preço do óleo diesel.

Criativo – Marquinhos também comentou decisão judicial contra ação do vereador Vinícius Siqueira (DEM), que queria derrubar a Taxa do Lixo. Na sentença, o juiz destacou a criatividade e ausência de fundamentação jurídica do parlamentar, o que serviu de deixa para o prefeito sugerir que “se é tão criativo, (Vinícius) deveria estar na Cultura e não na legislatura”.

Vetos - Ontem o embate indireto também foi com o vereador André Salineiro (PSDB), Marquinhos manteve dois vetos de projetos aprovados na Câmara e de autoria dele. O primeiro permitia tolerância de 15 minutos no parquímetro e o segundo autorizava inscrição da Guarda Municipal no CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica), para que pudesse receber recursos públicos.

Preso que paga - Já o senador sul-mato-grossense Waldemir Moka teve uma conquista nesta semana. Aprovou na  Comissão de Constituição e Justiça do Senado projeto de lei que obriga os presidiários a pagarem pelas suas despesas na prisão. 

Direto ao posto - A deputada Mara Caseiro (PSDB) pediu apoio dos colegas a movimento para que o álcool não precise mais passar por distribuidoras indicadas pela Petrobras, para refinamento e só depois vá para os postos. A intenção é que o produto saia das indústrias direto para os postos, para que o preço seja reduzido.

Mobilizados - Existe projeto no Congresso Nacional que prevê está mudança. 'Estou pedindo apoio nas redes sociais para que a Petrobras não tenha monopólio sobre o álcool e o preço fique mais barato', justifica.

Expectativa – Em tempos de crise e “vacas magras”, prefeitos do país –incluindo Mato Grosso do Sul– contam as horas para a chegada do 9 de julho, quando deve ser creditada a primeira parcela do 1% adicional do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) acordado com o governo federal. As mais de 5.500 prefeituras do país vão ratear um bolo de R$ 4,1 bilhões.

 

Desidratado – A previsão de repasses partiu da Confederação Nacional dos Municípios, e representa um alento para prefeitos que convivem com a queda vertiginosa da arrecadação nos últimos anos. E que atinge o próprio recurso esperado: o FPM é composto a partir da arrecadação do Imposto de Renda e do Imposto sobre Produtos Industrializados, que será 0,5% menor que o previsto.

Outro lado do mundo - O Senado aprovou um "prêmio" para o diplomata Eduardo Saboia, responsável pela entrada por Corumbá do ex-senador boliviano Roger Pinto Molina, oponente do presidente Evo Morales. Ele será embaixador do Brasil no Japão.



Fonte: Campo Grande News
Veja Também
Comentários
Imagem da semanaSinted pede aulas remotas e vacinação dos profissionais da educaçãoTodas as imagens
EnqueteQuem vai ser o Campeão da Copa do Brasil?
Resultados
42,86%
Santos
21,43%
Grêmio
21,43%
São Paulo
14,29%
Fluminense
16min32max
AnaurilândiaSol com algumas nuvens. Não chove.
19min29max
Campo GrandeSol com algumas nuvens. Não chove.
17min28max
DouradosSol com algumas nuvens. Não chove.
17min32max
Três LagoasSol com algumas nuvens. Não chove.