+55 (67) 3546.2571
quarta, 20 de outubro de 2021
quarta, 26 de fevereiro de 2014 - 10:45

Plenário deve votar mudança na dívida dos estados no fim de março

O Senado deve votar até o final de março o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 99/2013, que muda o indexador da dívida dos estados e dos municípios com a União. Após se reunir, nesta terça-feira (25), com os presidentes das comissões, para definir as prioridades do semestre, o presidente Renan Calheiros voltou a afirmar que existe um compromisso assumido em dezembro para que a proposta seja votada logo.

O PLC 99/2013 troca o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), mais juros anuais de 4%. Também fixa como limite para a cobrança de encargos a taxa Selic.

Comissões

O projeto é o nono item da pauta da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) desta quarta-feira (26) e o relator, Luiz Henrique (PMDB-SC), já apresentou relatório contrário às três emendas apresentadas em Plenário pelo senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP).

Luiz Henrique adverte que qualquer alteração no texto aprovado pela Câmara dos Deputados implicará nova análise daquela Casa, o que tornaria "incerto o destino de importantes providências contidas no projeto".

Uma das emendas veda a cobrança de juros nos contratos de empréstimos firmados com estados, Distrito Federal e municípios. Luiz Henrique disse não ver razão para que alguns estados e municípios estejam livres do pagamento de juros, "privilégio não concedido a nenhum outro devedor".

Outra emenda prevê a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para analisar os atos e fatores geradores das dívidas dos estados e municípios. A terceira emenda visa alterar a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) na parte relativa a exigências para concessão de incentivos fiscais.

Pedido de vista

Em entrevista à Agência Senado, nesta terça-feira (25), o líder do governo, Eduardo Braga (PMDB-AM), disse que será apresentado um pedido de vista amanhã na CCJ, após a apresentação do relatório sobre as emendas. Com isso, a votação na comissão será adiada para a semana posterior ao Carnaval.

Pelo acordo firmado em Plenário, as mudanças propostas por Randolfe também têm de passar pela análise da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), o que pode acontecer nas semanas seguintes ao feriado. Somente após o parecer das duas comissões é que o projeto estará em condições de retornar ao Plenário.

A expectativa de Eduardo Braga é que a votação em plenário aconteça no dia 27 de março.

Histórico

O projeto foi apresentado pelo Poder Executivo e começou a tramitar na Câmara no início de 2013, sendo aprovado em 23 de outubro. O texto original previa a troca do indexador das dívidas dos estados e municípios com a União, o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI), pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), mais juros anuais de 4%. Também fixava como limite para a cobrança de encargos a taxa Selic – valeria o menor valor.

Na Câmara, o projeto foi alterado para prever descontos nos estoques das dívidas, equivalentes à diferença entre o saldo devedor existente em 1º de janeiro de 2013 e aquele apurado com a aplicação da variação acumulada da taxa Selic desde a assinatura dos respectivos contratos.

No dia 5 de fevereiro, líderes partidários chegaram ao um acordo para que as emendas apresentadas pelo senador Randolfe Rodrigues fossem analisadas nas comissões para depois a proposta voltar ao Plenário e ter sua análise concluída.
Veja Também
Comentários
Imagem da semanaSinted pede aulas remotas e vacinação dos profissionais da educaçãoTodas as imagens
EnqueteQuem vai ser o Campeão da Copa do Brasil?
Resultados
42,86%
Santos
21,43%
Grêmio
21,43%
São Paulo
14,29%
Fluminense
17min27max
AnaurilândiaSol com algumas nuvens. Não chove.
15min29max
Campo GrandeSol com algumas nuvens. Não chove.
17min30max
DouradosSol com algumas nuvens. Não chove.
18min27max
Três LagoasSol com algumas nuvens. Não chove.