+55 (67) 3546.2571
sábado, 24 de julho de 2021
terça, 26 de maio de 2015 - 18:00

Preso, Rafael Ilha faz vídeo e pede para darem 'uma força' à mulher grávida

O ex-cantor Rafael Ilha, de 42 anos, preso na sede do Deic, na Zona Norte de São Paulo, desde a noite desta segunda-feira (25) gravou dois vídeos para seus fãs em que explica o motivo da prisão. Ele pede que força a sua mulher, que está grávida, e diz que os policiais civis são "legais" e o ambiente "suave". No primeiro vídeo, Rafael Ilha que é repórter em programa da RedeTV afirmou que foi preso após ter participado de cobertura do acidente dos apresentadores Angélica e Luciano Huck. "E aí, minha galera querida do Facebook? Vou postar esse vídeo aqui explicando o que aconteceu... Hoje eu sai para trabalhar na parte da manhã, para ir no Albert Einstein fazer a cobertura do acidente da Angélica e do Luciano Huck, e chegando em casa, por volta das 15h, eu recebi os policiais do Deic. Pessoas muito legais, que estão me tratando muito bem. A placa do meu carro foi clonada, tinham feito assaltos com ela. E eles foram investigar." "Chegando aqui tinha saído um mandado de prisão pelo cumprimento de uma pena alternativa de 2008. Mas isso aí foi só uma falta de comunicação minha com a Justiça após a minha mudança de endereço. Eles não me acharam e acabou saindo esse mandado. Já era até para eu estar saindo aqui agora, daqui a pouquinho. Mas o Fórum da Barra Funda fechou e não deu." "Mas amanhã eu tô saindo. Não é nada demais, não fiz nada de errado. Fiquem tranquilos. A única coisa que eu peço é: orem por mim, tá bom? E deem uma força para a Aline que ela tá barriguda. Valeu, galera, e fiquem tranquilos que aqui no Deic tá suave, tá bom? O pessoal aqui é tranquilo", diz Rafael. No segundo vídeo, ele diz que será liberado. "E aí galera, pessoal que está no Facebook. Bom, vocês já estão vendo as notícias, o Rafael foi preso. Essa é uma falta de comunicação com a Justiça após a mudança de endereço, daquele negócio lá da clínica, que aquela menina que eu queria internar ela. Lá de 2008." "Como houve essa falta de comunicação pois eu me mudei de endereço. Daí, a Justiça não me achou e acabou saindo esse mandado de prisão e eu só não estou saindo agora do Deic porque o Fórum fechou. Eu só acabei vindo pra cá devido a uma investigação porque clonaram a placa do meu carro e comentarem crimes com o clone da placa do meu carro. E tinha saído esse mandado de prisão por causa da falta de cumprimento da pena alternativa." "Eu só não estou saindo daqui agora porque o Fórum fechou. Amanhã estarei juntinho de vocês. Especulações serão muitas, mas a verdade é essa. Estou dormindo aqui no Deic, mas amanhã estarei juntinho trabalhando com o pessoal da 'Tarde é Sua'. Valeu, galera. Beijo". Prisão Rafael Ilha passou a noite na sede do Deic, na Zona Norte de São Paulo, após ter sido preso por policiais da Delegacia de Investigação sobre Roubo de Cargas. Segundo o boletim de ocorrência, policiais faziam uma ação contra roubos de veículos nesta segunda-feira quando viram um carro estacionado irregularmente. Os policiais verificaram que o veículo estava com problemas no DETRAN, levantaram quem seria o dono e descobriram que era de Rafael Ilha, que mora na mesma rua onde o carro estava. Depois, confirmaram que havia um mandado de prisão contra ele. Tocaram a campainha da casa do ex-cantor, ele atendeu e foi dada voz de prisão. Rafael e seu carro foram levados ao Deic. O advogado do ex-integrante do grupo Polegar Rafael Ilha, José Beraldo, afirmou que a prisão de seu cliente nesta segunda foi um equívoco. Segundo Beraldo, o ex-cantor apenas esqueceu de atualizar seu endereço na Justiça. "Houve um equívoco e será corrigido. Há três meses pedi para o Rafael ir à Vara de Execuções Penais no Fórum da Barra Funda para dar o novo endereço, mas ele não o fez", disse Beraldo. O delegado Weselowski afirmou que será levado pela prisão porque a "pena restritiva de direito" deve ter sido convertida para "pena restritiva de liberdade" porque ele não se apresentou à Justiça. A unidade prisional ainda deve ser definida de acordo com as vagas. O escritório do advogado vai à Justiça nesta terça-feira (26) primeiro pedir o alvará de soltura. "Vamos tentar um alvará de soltura para restabelecer a prisão domiciliar", afirmou Beraldo. Beraldo afirmou que caso o alvará de soltura seja negado, ele vai pedir o habeas corpus ainda nesta terça-feira. De acordo com policiais civis do Deic ouvidos, Rafael Ilha não foi levado para a carceragem com os demais presos. Ele passou a noite sem algemas em uma sala dos investigadores. Durante esse período, ele conversou com os policiais e demonstrou preocupação com a mulher que está grávida de 9 meses. Pilha Após ser detido, Ilha, de 42 anos, foi chamado de Rafael “Pilha” no boletim de ocorrência registrado no Deic. Questionado pela reportagem sobre o assunto, o delegado da 4ª Divecar (Divisão de Investigações sobre Furtos, Roubos e Receptações de Veículos e Cargas) do Deic, João Renato Weselowski, se mostrou supreso e disse desconhecer o termo. Ao olhar o boletim de ocorrência afirmou que a informação pode ter sido escrita por algum policial querendo “brincar”. "Isso deve ter sido alguém querendo zoar", afirmou o delegado. Policiais ouvidos disseram que o ex-Polegar também é conhecido como "Rafael Pilha" pelo fato de ter engolido pilhas após ser detido em outras ocasiões. Em 2000, ele passou mal depois de engolir uma caneta, três isqueiros e uma pilha durante uma crise de abstinência. Meses depois, ele ingeriu outras duas pilhas e precisou ser submetido a uma cirurgia, em um hospital de São Paulo, para a retirada dos objetos. Prisão anterior Ilha e sua mulher ficaram presos anteriormente entre 21 e 29 de julho de 2014 em Foz do Iguaçu e deixaram a cadeia após pagamento de fiança, respectivamente, de R$ 40 mil e R$ 15 mil. O ex-Polegar e a mulher foram presos com uma espingarda calibre 12, munição e uma arma de choque ao tentar passar pela fiscalização da Receita em duas moto-táxi. O Grupo Polegar estourou em 1989, com a música "Dá Para Mim", e chegou a vender um milhão de discos. Rafael Ilha deixou o grupo em 1991. Depois disso, o ex-vocalista acumulou passagens pela polícia. Ele foi preso pela primeira vez em setembro de 1998, quando tentava assaltar pessoas em um cruzamento para comprar drogas. À época, ele roubou um vale-transporte e uma nota de R$ 1 de uma balconista na Zona Sul de São Paulo. No ano seguinte, ele foi detido por dirigir uma moto na contramão. Depois, foram duas outras prisões por porte de cocaína. Em 2000, o ex-integrante do grupo Polegar passou mal depois de engolir uma caneta, três isqueiros e uma pilha, durante uma crise de abstinência. Meses depois, ele ingeriu outras duas pilhas e precisou ser submetido a uma cirurgia, em um hospital de São Paulo, para a retirada dos objetos. Em 2005, foi detido em Itapecerica da Serra, em frente à clínica dele, com uma arma calibre 380, com numeração raspada. Ele acabou autuado em flagrante por porte ilegal de arma. Em setembro de 2007, o ex-Polegar voltou à delegacia, mas como vítima. Rafael se dirigiu à residência de um jovem de 30 anos com intuito de convencê-lo a se internar. De acordo com a polícia, quando o homem percebeu a chegada do ex-vocalista, acabou fugindo em seu carro. Rafael passou a persegui-lo e, após um tempo, o jovem parou o carro e teria agredido o ex-cantor. Em julho de 2008, Rafael Ilha passou 17 dias na prisão, acusado de tentativa de sequestro, formação de quadrilha e usurpação de função pública. Ele teria tentado, junto com outras duas pessoas, colocar à força em um carro a esteticista Karina Costa, de 28 anos. Ele informou à polícia que o ex-marido dela tinha entrado em contato e pedido para que a mulher fosse internada na clínica de reabilitação contra dependentes químicos do ex-Polegar. A esteticista negou ser usuária de drogas. Em 2009, o ex-cantor foi encontrado dentro de um elevador de um condomínio todo ensanguentado. Os policiais que atenderam a ocorrência relataram na delegacia que ele dizia a frase “eu vou me matar”. Rafael ficou internado quatro dias. De acordo com o psiquiatra Aloísio Priuli, Ilha foi diagnosticado com transtorno bipolar. Já em 2013, o ex-vocalista sofreu um acidente de moto na Ponte Octavio Frias de Oliveira, a ponte estaiada, na Zona Sul de São Paulo. Segundo a polícia, Rafael bateu com a motocicleta na mureta, depois de ser fechado por um carro. A moto pegou fogo e ficou totalmente destruída, mas o ex-Polegar conseguiu saltar do veículo e sofreu algumas escoriações.
Veja Também
Comentários
Imagem da semanaSinted pede aulas remotas e vacinação dos profissionais da educaçãoTodas as imagens
EnqueteQuem vai ser o Campeão da Copa do Brasil?
Resultados
42,86%
Santos
21,43%
Grêmio
21,43%
São Paulo
14,29%
Fluminense
15min31max
AnaurilândiaSol o dia todo sem nuvens no céu. Noite de tempo aberto ainda sem nuvens.
16min32max
Campo GrandeSol o dia todo sem nuvens no céu. Noite de tempo aberto ainda sem nuvens.
15min32max
DouradosSol com algumas nuvens. Não chove.
16min31max
Três LagoasSol o dia todo sem nuvens no céu. Noite de tempo aberto ainda sem nuvens.