+55 (67) 3546.2571
segunda, 26 de julho de 2021
segunda, 25 de maio de 2015 - 11:30

Reforma política deve ser votada nesta semana; veja o que pode mudar

A Câmara dos Deputados anunciou que dedicará esta semana para discutir e votar, em plenário, a reforma política. Entre terça (26) e quinta (28), os deputados federais deliberarão sobre temas como: sistema eleitoral; financiamento de campanha; reeleição; duração de mandatos; fim das coligações e cláusula de barreiras. SAIBA MAIS Deputado compara petistas a usuários de drogas e PT diz que vai à Justiça Dinheiro domina um dos piores sistemas eleitorais do mundo, diz deputado Reforma política será votada no fim de maio, diz Eduardo Cunha Segundo informa o site da Câmara dos Deputados, as lideranças partidárias na casa devem reunir-se ainda nesta segunda-feira (25) para definir os procedimentos de votação da reforma. Tudo indica que ela será feita por partes. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), indica que o primeiro assunto a ser analisado e votado é o chamado ‘distritão’. É um modelo que acaba com o sistema atual, de proporcionalidade para eleição de deputados e vereadores, e determina a eleição dos mais votados pelo sistema majoritário. Caso a ideia seja rejeitada pelo plenário, há outras duas propostas. Uma mista, no qual parte das vagas será preenchida pelo sistema proporcional e o restante pelo majoritário, e um de listas partidárias – se os três forem vencidos, mantém-se o atual. Os principais pontos da reforma política constam na PEC 182/07. A votação da proposta na comissão especial da Câmara está marcada para esta segunda-feira, às 13h (horário de MS). Entre as várias outras ideias propostas, estão a que estabelece mandatos de cinco anos para todos os cargos. Esta mudança passaria a valer parcialmente a partir de 2022 e integralmente após 2027. Para esta mudança valer, deverá ser colocado em vigor também o fim da reeleição para presidente da República, governadores e prefeitos. Ou seja, pela proposta deputados estaduais, federais e vereadores continuam podendo ser reeleitos. Além disso, de forma a haver coincidência de mandatos, os prefeitos e vereadores eleitos em 2016 poderão ter mandatos de seis anos. Presidente, governadores e deputados eleitos em 2018 deverão ficar no cargo por quatro anos – a única exceção é aos senadores, que teriam mandatos de nove anos, fazendo com que todos passem a ter cinco anos a partir de 2027. É também a partir de 2027 que está prevista, de acordo com a proposta de reforma, a entrada em vigor da chamada cláusula de desempenho. Neste caso, só teria direito ao Fundo Partidário e acesso gratuito a horário de rádio e TV partidos com representação no Congresso Nacional que obtiverem no mínimo 2% dos votos apurados, distribuídos em pelo menos 1/3 dos estados, com a totalidade mínima de 1% do total em cada um. Para a noite desta segunda, está marcada sessão do Congresso Nacional para analisar cinco vetos presidenciais a projetos de lei. Entre eles, o que trata da fusão dos partidos.
Veja Também
Comentários
Imagem da semanaSinted pede aulas remotas e vacinação dos profissionais da educaçãoTodas as imagens
EnqueteQuem vai ser o Campeão da Copa do Brasil?
Resultados
42,86%
Santos
21,43%
Grêmio
21,43%
São Paulo
14,29%
Fluminense
17min34max
AnaurilândiaSol com algumas nuvens. Não chove.
20min34max
Campo GrandeSol com algumas nuvens. Não chove.
17min34max
DouradosSol com algumas nuvens. Não chove.
18min34max
Três LagoasSol com algumas nuvens. Não chove.