+55 (67) 3546.2571
quarta, 14 de abril de 2021
quarta, 7 de novembro de 2012 - 12:00

Servidoras confessam esquema de venda de casas em Dourados

A Polícia Civil trata a suposta venda de casas populares do programa Minha Casa Minha Vida em Dourados como provável estelionato. Segundo o delegado Antônio Carlos Videira, responsável pela Delegacia Regional, duas servidoras municipais confirmaram fazer parte do esquema que pode ter movimentado mais de R$ 200 mil. As investigações tiveram início em agosto, após denúncia da própria administração municipal. Sete vítimas já prestaram depoimento.

No dia 19 de agosto uma servidora pública do município foi detida com R$ 4,5 mil. O dinheiro era parte do pagamento cobrado pelas casas. Como não havia provas suficientes de algum delito ela foi liberada. Antes, porém, confessou que fazia parte de um esquema que cobrava pela concessão das moradias. E apontou a participação de outra servidora. Ambas confirmaram a prática e acusaram um colega do Departamento de Habitação, que nega.
A partir desses indícios a Polícia Civil deu continuidade às apurações com o apoio da prefeitura. Supostas vítimas do esquema começaram a ser convocadas para depoimento. “Elas negavam, creio que por acreditarem que ainda seriam sorteadas”, disse Videira ao Diário MS. Os suspeitos passaram a ser monitorados. “O objetivo era saber se eles tinham como influenciar no sorteio”.
Como nenhuma das pessoas que pagaram teve o nome incluso entre os beneficiados as versões mudaram. Anteontem 35 homens e mulheres foram à prefeitura para exigir explicações. Outras sete foram ontem ao 1º Distrito Policial e confirmaram terem pagado pelas residências. “Essas pessoas são, em tese, vítimas de estelionato”, explica o delegado. Segundo ele, até o momento são três os acusados. “Se confirmado o envolvimento de outros servidores, pode configurar formação de quadrilha ou bando”.
Ainda não há estimativa oficial sobre o dinheiro movimentado. Levando-se em consideração o número de denunciantes e o valor base de pagamento supostamente exigido (R$ 5 mil), chega-se a uma cifra que passa de R$ 200 mil.
O delegado regional explica que as duas servidoras que confirmaram participação no esquema já prestaram depoimento. O outro acusado também. Nos próximos dias deve haver a convocação do secretário municipal de Planejamento Gerson Schaustz. “O depoimento dele vai ser fundamental”, pondera Videira. Isso porque o Departamento de Habitação é diretamente subordinado à pasta por ele comandada.
A Prefeitura de Dourados informou que as casas dos residenciais Eucalipto e Dioclécio I serão entregues na próxima segunda-feira. O primeiro às 14h30 e o segundo às 16h30. A programação foi mantida e deve contar com a presença do governador André Puccinelli (PMDB).
Ao menos 20 pessoas foram ontem ao MPF (Ministério Público Federal). Elas prestaram depoimento à equipe do procurador Marco Antônio Delfino de Almeida. A Procuradoria da República pode entrar no caso se for constatada a fraude nos sorteios, uma vez que as casas do programa habitacional são construídas também com recursos do governo federal.
Veja Também
Comentários
Imagem da semanaSinted pede aulas remotas e vacinação dos profissionais da educaçãoTodas as imagens
EnqueteQuem vai ser o Campeão da Copa do Brasil?
Resultados
42,86%
Santos
21,43%
Grêmio
21,43%
São Paulo
14,29%
Fluminense
22min32max
AnaurilândiaSol com algumas nuvens. Não chove.
19min33max
Campo GrandeSol com algumas nuvens. Não chove.
22min31max
DouradosSol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.
23min32max
Três LagoasSol com algumas nuvens. Não chove.