(67) 99869-0605
sábado, 13 de julho de 2024
Politica | segunda, 1 de fevereiro de 2016 - 08:30

Com novatos, Campo Grande pode ter mais de 10 candidatos a prefeito

Nelsinho é um dos poucos veteranos na disputa

A eleição em Campo Grande caminha para ser a mais competitiva dos últimos anos. A concorrência é tanta que ninguém se arrisca a dizer que a eleição será definida no primeiro turno, o que também aumenta o interesse dos candidatos.

Antes de 2012, as eleições em Campo Grande pareciam cartas marcadas, com uma hegemonia do PMDB por mais de 20 anos. Alcides Bernal (PP) e Reinaldo Azambuja (PSDB) entraram na disputa e conseguiram mais do que um segundo turno, vencendo Edson Giroto, então PMDB.

Sem alianças no primeiro turno, Bernal conseguiu atrair mais simpatizantes no segundo turno e venceu fácil. Agora, com partidos passando por crise e com Bernal em uma gestão contestável, diante de tantos problemas, seja financeiro ou político, é grande o número de interessados e, curiosamente, novatos na disputa pelo Poder Executivo.

A falta de um candidato que dispara na pesquisa, o sucesso alcançado por Bernal na última eleição e a crise dos grandes partidos está animando os novatos, que acreditam no desejo popular por um nome novo e sem desgaste político.

Vislumbrando futuro promissor, a previsão é de que Campo Grande tenha mais de 10 candidatos a prefeito e, a começar pelos que já se anunciam como pré-candidatos, este número pode ser bem maior.

Os nomes apresentados pelos maiores partidos evidencia esta briga de novatos. PT, PMDB e PSDB têm como pré-candidatos políticos que nunca participaram de eleições para o Executivo: Pedro Kemp (PT), Antônio Carlos Biffi (PT), Cabo Almi (PT), Amarildo Cruz (PT), Rose Modesto (PSDB), Carlos Alberto de Assis (PSDB), Eduardo Riedel (PSDB), Carla Stephanini (PMDB), e Paulo Siufi (PMDB) são alguns dos novatos que estão de olho na prefeitura.

Os três maiores partidos têm novatos como maioria, mas também há entre os pré-candidatos aqueles que já disputaram cargo no Executivo, como Carlos Marun (PMDB) e Márcio Fernandes, ambos sem sucesso, e o deputado Beto Pereira (PSDB), que já foi prefeito de Terenos.

Com grandes partidos em dificuldade, cresce o interesse dos pequenos e médios partidos, que também podem apresentar novatos no Executivo. Declaram-se pré-candidatos: Marquinhos Trad (PMDB), que deve se filiar ao PSD, Felipe Orro (PDT), ex-prefeito de Aquidauana, Ricardo Ayache (PSB), o deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM) e Mara Caseiro (PMB), ex-prefeita de Eldorado.

Nelsinho Trad (PTB) e Alcides Bernal (PP) podem fugir a regra e participar como figuras repetidas nesta eleição. Bernal é pré-candidato a reeleição e Nelsinho quer voltar ao comando da prefeitura. A vontade é tanta que ele foi procurar até o ex-governador André Puccinelli. Ele tem como barreira o irmão, Marquinhos Trad, que anunciou a pré-candidatura primeiro.

Além dos já citados, há ainda partidos pequenos que tradicionalmente lançam candidatos. É o caso, por exemplo, de PSTU e PSOL. Com as mudanças na legislação eleitoral, os partidos começam a campanha mais tarde, com apenas 45 dias para pedir votos. A previsão é de que os nomes comecem a ser divulgados oficialmente a partir de abril. 



Fonte: midiamax
Veja Também
Comentários