(67) 99869-0605
terça, 23 de abril de 2024
quinta, 26 de abril de 2018 - 14:55

Empresa que vende arroz mais caro para merenda escolar é investigada

Empresa que venceu licitação não está fornecendo alimentos para escolas de Caarapó; cooperativa que assumiu o negócio cobra mais caro da prefeitura do que no mercado que mantém na cidade

O Ministério Público de Mato Grosso do Sul instaurou inquérito civil para investigar irregularidade no fornecimento de alimentos para a merenda das escolas municipais de Caarapó, cidade a 283 km de Campo Grande. Além de abrir investigação, a promotora Fernanda Rottili Dias recomendou ao prefeito Mário Valério (PR) que rescinda o contrato com a empresa Wilson Ary Amorim Marques ME, vencedora da licitação.

Entre as suspeitas de irregularidades, o MP constatou que a cooperativa C-Vale Agroindustrial, que está fornecendo os alimentos no lugar da vencedora da licitação, cobra mais caro pelos produtos. Enquanto o pacote de 5 quilos de arroz entregue para a prefeitura custa R$ 12,99, no mercado da cooperativa em Caarapó, o mesmo produto é comercializado por R$ 10,98.

De acordo com o Ministério Público, a empresa Wilson Ary Amorim Marques foi contratada através de licitação para fornecer alimentos perecíveis e não perecíveis para as escolas municipais e centros de educação infantil da cidade, da reserva indígena Tey Kue e dos distritos de Nova América e Cristalina.

Empresa de fachada – Entretanto, em representação ao Ministério Público, o empresário Antonio Laercio Bortolotte denunciou que a empresa Wilson Ary Amorim Marques nunca foi comércio de alimentos e que Wilson Marques nunca teve empresa desse ramo na cidade.



Fonte: Campo Grande News
Veja Também
Comentários