(67) 99869-0605
sexta, 12 de abril de 2024
terça, 8 de maio de 2018 - 14:45

Preso em ação é suspeito de executar fazendeiro a mando de facções

Paraguaio Adalberto Sanavria, preso sábado em Dourados na Operação Assepsia, é suspeito de uma série de crimes na fronteira

Preso na Operação Assepsia, desencadeada pela Polícia Civil no sábado (5) em Dourados, a 233 km de Campo Grande, o pistoleiro paraguaio Adalberto Toralez Sanavria é suspeito de ter executado um fazendeiro de Ponta Porã no dia 19 de abril deste ano e de ter ferido um funcionário do local, que morreu dez dias depois em decorrência dos tiros.

Apontado como autor de uma série de assassinatos encomendados na linha de fronteira, Sanavria foi preso por agentes do SIG (Serviço de Investigações Gerais) e policiais militares no condomínio Moradas Dourados, localizado na zona oeste de Dourados.

Ligado ao Comando Vermelho, o pistoleiro paraguaio também é suspeito de fazer ameaças a agentes públicos a mando da facção criminosa carioca. Foi por causa dessas ameaças que a polícia chegou até ele no sábado.

O fazendeiro Luiz Brunetta, 62, morto a tiros na noite de 19 de abril na fazenda Santa Edwirges, de sua propriedade, perto da BR-463, no município de Ponta Porã, era suspeito de ligação com a facção carioca, que trava uma guerra com outros grupos pelo controle do narcotráfico.

No dia 18 de fevereiro do ano passado, a PRF (Polícia Rodoviária Federal) prendeu um integrante do Comando Vermelho que estava hospedado na fazenda onde Luiz Brunetta foi executado a tiros.

Gerisvaldo de Jesus Santos, 36, morador na Favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, usava documento falso quando foi preso por policiais rodoviários federais. O bandido estava na região com a missão de vigiar o Posto Capeí, na BR-463, onde funciona uma base da PRF.

Ricardo Dias Campos, 64, funcionário de Luiz Brunetta e também baleado no ataque à fazenda, foi socorrido para o Hospital da Vida, em Dourados, mas morreu em decorrência dos tiros, no dia 29 do mês passado.

Segundo a polícia brasileira, a prisão de Adalberto Sanavria pode ajudar a elucidar vários assassinatos ocorridos em Dourados, Ponta Porã e Campo Grande.



Fonte: Campo Grande News
Veja Também
Comentários