(67) 99869-0605
domingo, 03 de março de 2024
Suzano | sexta, 29 de dezembro de 2023 - 07:59

Suzano apoia o projeto de hortas urbanas colabora para o empoderamento de mulheres em Três Lagoas

Iniciativa é desenvolvida em parceria com a Missão Salesiana e beneficia cerca de 40 famílias em Três Lagoas, desse total 89% são mulheres, a maioria delas chefes de família
Foto: Divulgação

A Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, em parceria com a Missão Salesiana de Mato Grosso (MSMT), tem colaborado para o empoderamento feminino e geração de trabalho e renda para famílias chefiadas por mulheres em Três Lagoas. Com o objetivo de colaborar com a segurança alimentar e geração de renda por meio da produção de alimentos agroecológicos, o projeto Hortas Urbanas teve início do ano passado. Desde então, foram cerca de 40 famílias em situação de vulnerabilidade social – com renda de até R$ 468,00 mês - atendidas, o que corresponde a uma média de 160 pessoas beneficiadas direta e indiretamente pelo projeto. Destas famílias, 89% são lideradas por mulheres.

 

Atualmente, são 26 famílias atuando de forma mais efetiva no projeto, sendo 23 delas comandadas por mulheres. Com apoio técnico especializado, essas mulheres e homens recebem orientações e cursos específicos para melhores métodos de cultivo de alimentos agroecológicos, assim como recebem auxílio no manejo das culturas e no processo de comercialização do excedente da produção.

 

“Na Suzano, nós temos um direcionador que diz que ‘Só é bom para nós, se for bom para o mundo’, e o projeto Hortas Urbanas é uma das iniciativas que mais representam esse objetivo. Ao apoiarmos a utilização de espaços para a produção de alimentos na área urbana, estamos contribuindo para a promoção da segurança alimentar das famílias, que terão alimentos saudáveis na mesa, para a geração de renda e, neste caso específico, para o empoderamento feminino, uma vez que muitas das famílias beneficiadas são lideradas por mulheres. Promover a geração de renda entre mulheres é reduzir desigualdades sociais e colaborar para a construção de um futuro mais sustentável e igualitário para todos e todas”, reforça Eduardo Ferraz, gerente Executivo da Unidade de Três Lagoas. 

 

O projeto vem ao encontro de um dos “Compromissos para Renovar a Vida” da Suzano, que tem como objetivo retirar 200 mil pessoas que se encontram abaixo da linha da pobreza em suas áreas de atuação, até 2030. Por meio da parceria com a Missão Salesiana, iniciada em 2022, a companhia apoiou as famílias com os equipamentos e insumos iniciais para a instalação da horta comunitária, implantada em uma área dos salesianos, situada atrás da Igreja Matriz.  O objetivo é incentivar o cultivo de alimentos agroecológicos – sem o uso de defensivos agrícolas – para consumo das famílias e comercialização da produção excedente.

 

Sadi Silva, coordenadora da Missão Salesiana em Três Lagoas, a horta em que as famílias cultivam os alimentos passou por extensão e hoje compreende uma área de 50 mil metros quadrados. “Com o apoio da Suzano, conseguimos alavancar o número de participantes, colocar o Hortas Urbanas para funcionar e até expandir a atuação com o tempo. A Missão Salesiana nos ajudou com o terreno e a partir daí conseguimos atender famílias em situação de vulnerabilidade a cultivar diversos tipos de alimentos. As famílias vêm até a horta para trabalhar aqui no projeto, e além de conseguirem alimentos para consumo, também comercializam a produção e dividem o lucro entre os participantes”, revela.

 

Ana Karen Roman Gil, de 34 anos, foi uma das mulheres que teve a vida transformada pelo Hortas Urbanas. Mãe de duas crianças, uma de 5 anos e a outra de 3 anos, ela entrou no programa em um momento difícil que passava. “O projeto foi uma das melhores coisas que aconteceu, ele trouxe a minha vida de volta. Desde que passei a trabalhar nas hortas, há seis meses, passei a ter um dinheirinho para poder comprar minhas coisas, recebo minhas verduras todas as semanas e isso melhorou muito como a minha família come. Meu ânimo é outro agora, voltei a sorrir novamente. Todo dia de manhã vou para o trabalho me sentindo melhor, a horta acabou sendo minha terapia”, revela.

 

Trabalho coletivo

O modelo de cultivo é coletivo. Aqueles(as) que atuam no cultivo recebem o pagamento por hora trabalhada e têm participação na venda dos alimentos. Atualmente, todas as pessoas que participam do projeto revezam em diferentes atividades. Elas podem atuar tanto no período vespertino ou matutino, com três horas de trabalho por dia.  

De acordo com Sadi, assim como Ana Karen, várias mulheres afirmaram aumento na renda após adesão ao Hortas Urbanas e melhor adesão ao consumo de alimentos saudáveis. Este foi o caso de Geiza Ferreira Miranda, de 29 anos, mãe de um menino. “O Hortas Urbanas me ajuda a complementar a renda, que compartilho com o meu trabalho de colocar tranças e apliques no cabelo. Desde que eu comecei, o projeto mudou muito a minha vida, principalmente na parte da alimentação, eu não comia verduras e passei a comer”, ressalta.

 

Onde adquirir

Para as pessoas interessadas em adquirir os alimentos produzidos no sistema agroecológico, o projeto conta com dois pontos de vendas, sendo a sede na av. Antônio Trajano, atras da Igreja Matriz e na Feira Central, onde as famílias colocam os produtos para venda.

 



Fonte: Performa Comunicação
Veja Também
Comentários