(67) 99869-0605
domingo, 26 de maio de 2024
segunda, 9 de setembro de 2013 - 16:55

Uruguaio encontrado nos Andes comeu "churrasco de rato" para sobreviver

A filha do uruguaio que ficou quatro meses perdido na Cordilheira dos Andres e foi resgatado no último domingo (8) disse ao jornal "El Observador" que seu pai comeu "churrasco de rato" para sobreviver.

Paula Gómez disse que, apesar de fraco, Raúl Fernando Gómez Cincunegui contou no hospital que havia feito armadilhas caseiras para capturar ratos.

"Ele me disse que comeu muito churrasco de ratos", falou.

Segundo Paula, quando viu as filhas Cincunegui começou a rir sozinho.

"Quando ele nos viu, seu olhos se iluminaram e ele ria sozinho. Estava feliz! Ele disse: 'me conte algo lindo' e daí começamos a contar tudo o que havia se passado naquelas quatro meses", contou.

O quadro de saúde do uruguaio de 58 anos "evolui muito bem" em um hospital de San Juan, no oeste da Argentina, informou nesta segunda-feira à AFP um porta-voz oficial.

"Ele está lúcido e de bom humor, apesar de ter passado por um caso grave de desidratação. Sua família o visitou há apenas alguns minutos na UTI", disse Rodrigo Belert, porta-voz do hospital Rawson.

Gomez Cincunegui saiu em uma viagem de moto do Uruguai rumo ao Chile, mas o veículo apresentou problemas e ele decidiu ir a pé para o outro lado da Cordilheira, onde se perdeu e ficou sem ter como se comunicar com a família.

Belert revelou que Gomez "poderá ser transferido em 24 horas para Montevidéu, no avião que trouxe sua família, que foi especialmente enviado pelo Uruguai".

Helicópteros da Aeronáutica saíram de San Juan (cidade localizada 1260 km a oeste de Buenos Aires) e o encontraram no domingo, sentado perto de um abrigo, a 4.500 metros de altura.

De acordo com o relatório dos oficiais, o homem sobreviveu alimentando-se de ratos, açúcar e de uvas passas, suprimentos emergenciais que muitas vezes são deixados nos abrigos da montanha.

"Foi um milagre, graças a Deus ele está vivo", falou, emocionada, Irma Cincunegui, mãe de Raul, que lembrou que a família havia recebido a última notícia sobre Gomez em 11 de maio.

"Ele tinha ido ao Chile passear, sua moto quebrou e, depois de alguns dias, ele subiu a montanha e ficou preso por causa da neve. Ele não se planejou para a neve porque quando subiu a montanha não havia neve", disse.

De acordo com a mulher, andar de moto é um dos passatempos favoritos de Gomez, que tem parentes no Chile, onde vive sua sogra, e um amigo na Argentina, em Mendoza, o que fez com ele decidisse fazer a viagem.

Veja Também
Comentários